o dia da minha morte

Era o dia da minha morte. Eu sabia que ia morrer e ela viria assim no final do dia como acontece com a bateria do celular, aos poucos diminuindo, diminuindo até chegar ao fim. No comecinho daquele dia eu entrei numa joalheria e estava apaixonada por um brinco muito delicado

Individualidade na relação a dois (2)

Faz um tempo que escrevi sobre este tema (link aqui) e quero revisitá-lo. Talvez porque hoje eu tenha uma visão ainda mais ‘radical’ sobre essa questão, se podemos chamá-la assim. Desenvolver a individualidade (ser aquele EU que somos verdadeiramente) na sociedade massificada e massacrante que vivemos já é um desafio

o desafio de cortar o cordão umbilical

A cada setênio da nossa vida temos um desafio psíquico mais importante para dar conta. Jung estudou profundamente os setênios da vida adulta, com especial ênfase aos que vão dos 28 aos 35 anos, dos 35 aos 42 e dos 42 aos 49. Os primordiais da chamada vida adulta na

queridos pais e mães, por favor, cuidem das suas vidas

Sei que o título pode ser lido como polêmico mas não é a minha intenção. É um pedido de verdade. Por amor, cuidem das suas próprias vidas além de cuidar dos filhos. Eu sempre digo que estou numa posição muito privilegiada e por essa razão me dou ao luxo de

eu parei de tingir os cabelos

Eu tenho cabelos brancos desde os 20 poucos anos e desde quase lá eu tingia os cabelos. Até 2 anos atrás. Pela maior parte desse tempo eu gostei de pintar os cabelos. Já tive cabelo totalmente descolorido e curtíssimo ‘a la Annie Lennox’, já tive ruivo, e a maior parte

individualidade na relação a dois

Ôoooo conversinha complicada essa não?? Esse tem sido um tema recorrente no consultório e nas conversas informais com amigxs queridxs, por isso resolvi fazer aqui algumas reflexões. Como faz para preservar a individualidade no relacionamento a dois? Como aceitar numa boa que o desejo do outro pode não ser o mesmo

Outros saberes no seu email? Assine aqui:

nunca compartilharemos seus dados