quem mora dentro de você?

Era uma vez, num reino muito, muito presente ainda, três mulheres… que moram dentro de mim… Ana Luiza como me apresento, como me chama minha mãe ou, como percebi mais recentemente, me chamam meus irmãos quando querem ‘me chamar atenção’… Analu como me chamam amigas; é meu gmail, meu twitter,

psicoterapeuta não é psicólogo?

Essa é uma questão que gera muita dúvida e discussão. Com o intuito de contribuir com esse assunto nada simples na minha visão, sugiro olharmos por diferentes ângulos. A melhor resposta seria sim ou não. Psicologia é área de estudo e profissão. Psicoterapia é prática. Por exemplo, alguém pode ser

cada um que vem ao meu consultório toca algum ponto meu?

Alguém me fez essa pergunta recentemente. Sim, sem dúvida cada um que senta na minha frente me traz a pergunta: Onde isso toca em mim, se é que toca? Eu só consigo caminhar num processo terapêutico com alguém se o que toca o outro, toca em mim! Essa foi a minha

fazer terapia

É entregar-se à observação de si mesmo. Quando nos olhamos de perto podemos ver várias versões de nós mesmos atuando no mundo. É aprender a conhecer as diferentes vozes que falam em nós. Com discursos diferentes, propostas, tons diferentes. Partes que nos compõem e que se manifestam no corpo, nas diferentes camadas

sobre o caderno de sonhos

Uma das primeiras coisas que digo para alguém que começa um processo terapêutico comigo é: tenha um caderno de sonhos. Compre um novo caderno, desenhe uma capa linda para ele se quiser, mas tenha um, novo, com esse objetivo: ser o seu caderno de sonhos. Deixe-o na cabeceira da sua

feridas de amor

Tantas vezes penso sobre a dificuldade que temos na relação com os objetos primordiais de amor das nossas vidas! As projeções, a necessidade de aprovação, as raivas contidas, os laços entretecidos de amor, cuidados e expectativas. Compreender melhor os vários aspectos que nos unem e separam de nossos pais é

Outros saberes no seu email? Assine aqui:

nunca compartilharemos seus dados